Mobilidade no Santa Mônica

Na noite do dia 18/10 participamos como ouvintes da Reunião Ampliada da CMF realizada na sede da Acojar, no Santa Mônica, a respeito da mobilidade no bairro.
A principal queixa da comunidade se dirigiu ao fechamento dos acessos de conversão na Avenida Madre Benvenuta, realizado a partir de segunda-feira, por entender que isso provocou um aumento das velocidades máximas imprimidas pelos veículos motorizados em circulação. Como o entendimento é de que a Avenida é uma via destinada primeiramente ao atendimento das necessidades do próprio bairro, os condutores precisam ter a consciência de circular em baixas velocidades.
Segundo informações da PMSC, ocorreram 16 acidentes no ano de 2018 na Avenida Madre Benvenuta, número que não é suficiente para uma avaliação adequada.
Ao final da reunião, as autoridades da PMF presentes decidiram pela remoção dos cones e grades que impediam as conversões.
Também houve propostas de voltar o acesso à Avenida pela ponte hoje usada por pedestres e ciclistas – embora ninguém comente, isso implica na eliminação da ciclofaixa ali existente.
Fizemos questão de ressaltar que eventuais modificações nas vias locais precisam obrigatoriamente priorizar o pedestre, a bicicleta e o cadeirante, de acordo com a Lei da Mobilidade Urbana, Lei 12.587/12.
Foi constituída uma comissão da comunidade para acompanhar os estudos dessa via em relação a todo o entorno.
Desejamos aqui lembrar que UDESC e UFSC também fazem parte da comunidade que circula pela Avenida.
Continuamos defendendo a proposta de solução apresentada na Ação Civil Pública em curso.

Histórico da problemática
O terreno onde hoje se situa o Shopping Iguatemi tinha instalado uma concessionária de veículos. A grande ampliação para receber o Shopping implicava um avanço sobre área de preservação ambiental.

Após muitos embates no judiciário, ocorreu em uma audiência em Juízo entre partes e interessados, da qual foi lavrado um Termo de Audiência Judicial TAJ, equivalente a um Termo de Ajuste de Conduta TAC

Em 2012, ocorreu a morte de um ciclista, servidor da UDESC no último dia de trabalho depois de 40 anos de labuta.

Em 2014 aconteceu uma audiência pública na ACOJAR. Em 2015 o Ipuf fez um projeto para o trecho Valter Mussi – Joe Colaço, com previsão de ciclovia no canteiro central

Em 2015/16 foi executada a ciclovia no trecho UDESC – Rua Valter Mussi (Posto de gasolina).

Em 2018 o Ipuf fez novo projeto para acomodar custos de realização, prevendo eliminação do canteiro central e duas ciclofaixas entre faixas de rolagem e calçadas das edificações, opção aprovada pela Amobici e pelo MPF em Juízo.

Em 2019 a Prefeitura optou pela implantação de um projeto maior de revitalização da Avenida Madre Benvenuta, voltando à opção de ciclovia no canteiro central.

Decisão Judicial de 10/10/2019, dispensando o projeto de 2018 com ciclofaixas e condenando as empresas devedores ao recolhimento dos valores devidos em função de multa estipulada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s